quarta-feira, 7 de abril de 2010

“Preguiçosa” era um eufemismo para descrever aquele corpinho de menina de 8 anos deitada sobre a cama. Afinal de contas, quem não tem preguiça numa tarde de feriadão, num quarto de hotel, com ar condicionado e cobertas gostosos, e o melhor.. um primo e sua namorada para aperriar?!

Então... vamos deixar de lado o casal [que, de fato, não podia sequer dar uma bitoquinha, porque a miniatura de gente simplesmente encarnou que a namorada do primo, e padrinho, era dela.. isso, somente dela]. Até porque, o que é um casal de namorados ao lado de uma menina que coloca a família toda no centro da palma da mão?!

“Vai lá no banheiro e faz xixi pra mim, Bernardo”. Atire a primeira pedra quem nunca teve PREGUIÇA de ir ao banheiro! Nessas horas ninguém se lembra da maldita infecção urinária. As pernas balançam, os membros se contraem, mas a danada da preguiça não dá trela. Pois bem! Geórgia não era diferente. Deixar o casal ter alguns poucos segundos de carinho estava fora de cogitação.

“Voltei!”, disse o pitoco de 4 anos, vindo correndo do banheiro e se esparramando na cama. O barulho da descarga ainda não cessara. Isso mesmo! Ele foi ao banheiro e fez xixi no lugar da irmã. Já viu prova maior de obediência e lealdade? Morra de inveja se você não tem quem faça xixi no seu lugar. Geórgia tem!

Ela manda, ele obedece. Ela reclama, ele ri. Ela nega, ele assume: “Fui eu”. Ela bate, ele chora e conta para a mãe. Ela brinca, ele imita. Ela dorme, ele quer ir junto.

Agora, responde uma coisa: tem sono mais recompensador depois de virar para a cama ao lado e ver esse casalzinho de deixar qualquer um definitivamente louco, em sono profundo? Duas criações de Deus, com semblante de anjos.

Estou cada vez mais convencida de que a convivência com crianças faz brotar cabelos brancos e deixa rouca qualquer criatura. Faz você sentir de irritação a desespero em poucos instantes. Ao mesmo passo em que provoca os sorrisos mais doces, os carinhos mais sinceros e a fé na humanidade.

-------

Depois de mais um ano de ausência absoluta.. um retorno falando daquilo que tem me rodeado e reposto minhas energias.. crianças. Da família ao tema da monografia.. elas e suas traquinagens estão por todos os lados.

4 comentários:

Rodrigo Aurélio disse...

Palavras do cotidiano, aquela que vê por trás das pequenas coisas, essas sim, sao pessoas que conseguem compreender o que realmente é a vida. E vc, minha cara, é uma delas.

E, nao pare de postar! Ok!?

;D

Nathalia Lima disse...

conheço tudo que tá registrado mas é sempre tão bom te ler!

voltamos em épocas parecidas pra cá! :)

estarei acompanhando, irmã!
escreva sempre!


saudade! :***

Renata Virgínia disse...

Ameeeei o novo texto. Que bom que vc voltou! :)

Bjosss

Francisco Neto disse...

Meu amor escreve tão bem.
Eu fico orgulhoso de tu =D


=*