sexta-feira, 25 de julho de 2008

(Meu) sorriso singelo...

Poucas coisas na vida são mais estressantes do que a fila de um banco.
Branco, negro, desocupado, ocupado - todos ficam em pé de igualdade, com os dois pés plantados no chão, esperando a grandiosa hora de escutar o célebre "próximo" bem de pertinho, de um dos dois caixas que estão funcionando.

Claro, são 5 ou 6 caixas.. mas, por que eles estariam todos ocupados? Acho que o gerente gosta muito da nossa companhia e prefere deixar apenas 2 funcionando, pra ter nossa presença por mais tempo.

É na fila do banco que os sentimentos afloram. É o rapaz que não pára de olhar o relógio, não sei se admirando a beleza do objeto adquirido com 1/4 do salário do mês.. acho que não.
A senhora, coitada, troca o peso do corpo entre uma perna e outra como num passo de dança.
A menina de cabelos cacheados pensa se foi por castigo que o pai a mandou pagar as contas.

E eu.. esperando, me estressando, pensando, observando.
Percebi que fila de banco pode ser interessante, basta saber olhar as coisas certas.
No lugar de contar quantas mil pessoas ainda estão à frente, melhor aproveitar aquele "tempinho" para perceber que nem sempre o rico está em melhor posição do que o pobre.
Ao invés de xingar em pensamento o caixa, gerente, ou mesmo o guarda que não me deixou entrar antes de tirar da bolsa o celular, sombrinha, chaves e mp3, prefiro ver as máscaras caídas no rosto das outras "sabe Deus quantas pessoas".

Os calmos escutam música no mp3 e ainda gesticulam com os lábios.
Os inquietos ensaiam coreografias, por vezes engraçadas.
Os preocupados fazem quase uma limpeza de pele espontânea, de tanto passar as mãos pelo rosto.
Os estressados ficam só esperando a hora em que alguém fura a fila pra fazer escândalo, ou então, chamam o coitado do amarelinho para "esculhambar" pelo desrespeito ao consumidor.

Ah, tem ainda os velhinhos.. calmos, cansados, sentados na irônica fila "preferencial".
Preferia estar naquela fila.. não por ser mais rápida, nem porque já gostaria de estar nos últimos anos da minha vida.
Apenas porque é lá que saem as melhores histórias. As mais ricas, mais aconselháveis.
Ainda me esforço pra chegar perto. Arregalo os ouvidos. De receita de bolo ao fim de semana passado com os netos - escuto tudo. Absorvo muito. Aprendo as melhores lições.

Ouço uma senhora com voz trêmula relatando pra "dama de companhia" que algumas horas adiante a sua filha a pegaria em casa pra fazer aquela viagem, como presente de aniversário.
A doce mulher de poucos cabelos ainda grisalhos esboça um sorriso singelo, no rosto enrugado por marcas jamais esquecidas.
Das quase 2 horas que passei na fila, mais de uma foi escutando as "aventuras" daquela senhora.
Imaginei-me nelas, daqui a uns muitos anos.
Deu até vontade de me oferecer pra ser sua neta, comer seus biscoitos no fim de semana e ter sua companhia nos melhores momentos.
Meus olhos lacrimejaram.

Quando ela me olhou, eu a encarei.
Poucos segundos, rápidos instantes.
O bastante para um sorriso recíproco.

Ao longe escuto aquela vozinha.. "próximo?!"

10 comentários:

Confucious disse...

"Apenas porque é lá que saem as melhores histórias. As mais ricas, mais aconselháveis."

Como eu gostaria que os jovens tratassem melhor aos idosos, não porque seja eu um idoso (que de fato não sou), mas simplesmente para dar-lhes a liberdade de viver mais, mais e com saúde, fisica e mental, para que pudéssemos absorver mais do seu conhecimento a cada dia!

É uma pena que na nossa cultura os "velhos" não passem de ultrapassados, ou invés de experientes.

Obrigado pelo carinho no meu blog!
Abraços,
Confucious

escolha-dificil.blogspot.com

Rodrigo Aurélio disse...

Poxa! quem dera que todos tivessem essas visões, como um amigo meu descreve, "momentos mágicos". sim, é magico esta na fila do banco, como tambem ir trabalhar de moto sentindo o vento no rosto (ainda que de capacete :P. cada coisa, cada detalhe, cada momento da vida é magico :)

Adoro teu Blog! :)

"e como no post acima, uma propagandazinha faz bem :P"

oquasimodo.blogspot.com

Tarcisio Oliveira disse...

culto, eu?
kkkk, gostei da piada.
quem é culto não tem cre como o meu.
mesmo assim, obrigado pelo elogio.
tb gostei muito do seu texto..conseguiu tranformar uma fila de banco numa poesia necessaria nos dias de hoje.
parabéns!

Karla disse...

Lindo, Lindo, Lindo!

eliasipj disse...

Dani, eu só mudaria uma coisa:
Tu escreveste, sobre a fila dos idosos dizendo q "não por ser mais rápida, nem porque já gostaria de estar nos últimos anos da minha vida."
A idéia que muitas vezes nós fazemos da velhice, é que está nos últimos dias de vida, quando, na verdade, a fragilidade da vida está presente desde o momento que a recebemos.
Qual a diferença da frailidade de um idoso para a de uma criança? ;)
No mais, reafirmo que tem gente por aqui que deveria pensar em escrever um livro...n sei se de poesias (pq já ouvi falar delas) ou se de assuntos diversos, como aqui no blog ;)
Fica com Deus Dani e que Ele continue te abençoando em todas as suas decisões.
Beijo

Lyani disse...

Nossa que texto lindo!
Adorei...

Obrigada pela visita, o seu cantinho é lindo, e cheio de inspiração.

Volte sempre e não tem o que pedir desculpas,eu fiquei muito feliz que vc me visitou e comentou =D

bjossss

Rogeano Sousa disse...

Ah Dani Dani Dani... Gostei muito do texto minina... Gostei tanto que acabo de elegê-lo o meu preferido dos que já li de vc... É interessante a suavidade e "docilidade" com que escreve... Deveria parar mais tempo na tua vida pra escrever, viu? Rum!!

Ah... Vc gosta mesmo de idosos né?! rs

Abraço Dani, vc é minha "escritora clandestina" predileta...

Polêmica disse...

A velhice deveria ser uma fase cheia de reconpensas e presentes por uma vida inteira de luta e de prestação de serviço para a sociedade mas, infelizmente isso não acontece, o idoso é tratado com indiferença como se nunca tivesse feito nada nessa vida! Mas os idosos são as pessoas mais valiosas da sociedade!

Beijinhos!

Karoline disse...

Olha eu aqui!!!XDDD

Quão singelo é o seu olhar!!Dessa nossa longa amizade aprendo a cada dia com vc e com certeza aprendemos muito com o mundo e com as pessoas, com as ordinárias(no sentido positivo)situações de nossas vidas que deveríamos dar mais valor, nada como esperar em uma fila e aprender sobre nós mesmos!!

Bjos!!

noemi brito disse...

Lindo, lindo, lindo
Me senti na fila do banco observando tudo...
Eu também adooro as histórias dos velhinhos, eles sabem tanto! Apesar de nem parecer...
Ah, se todo mundo parasse pra escutar...
Eu até reparo nessas coisas do dia a dia, mas vc sabe passar de um jeito... que dá vontade de pagar as contas! (risos)
Beijoo